Tempo quando | Galeria Ybakatu

A exposição traz obras recentes das artistas Marilde e Tatiana Stropp, mãe e filha.
Marilde apresenta fotografias de grãos da areia, desenhadas pela ação da água que se unem a fios de algodão, tinta, cola e papel, transformando imagem em objeto a partir da colagem. Simultaneamente Tatiana nos mostra em suas pinturas, inúmeras camadas delicadas de tinta a óleo sobre o alumínio, permitindo com que a percepção das cores seja alterada dependendo da incidência da luz exterior na pintura.

A exposição também conta com texto escrito pelo crítico e curador Eder Chiodetto.

Trechos do texto de Eder Chiodetto para a exposição tempo quando:

(…)
Marilde e Tatiana Stropp, mãe e filha, duas gerações, duas artistas, duas talentosas criadoras de obras capazes de mobilizar nosso olhar como quem enfeitiça a percepção. As obras de ambas, aqui apresentadas, falsamente repousam sobre a superfície. Um olhar minimamente atento perceberá que elas se rebelam contra a platitude do plano, não se deixando enclausurar pelas linhas que encerram o quadro.
(…)
Embora trabalhando em plataformas aparentemente opostas, as duas artistas pertencem de fato à mesma família, não apenas sanguínea, mas poética. Ambas se esmeram no dom de iludir e de nos fazer perceber, pela via da arte – metáfora da vida – que há lugares intensos e mágicos a nossa espera em algum lugar além daquilo que a aparente realidade nos apresenta. Revolver o plano até que nos deparemos com outras possibilidades de perceber o entorno. Trabalhos que se esmeram nos devaneios estéticos, mas findam por obter um potente viés político. A arte como refúgio, rebeldia e esperança.

Compartilhar: