Simões Lopes Neto | Santander Cultural

Objetos de Simões Lopes

“Simões Lopes Neto – onde não chega o olhar prossegue o pensamento” é o nome da mostra de artes visuais que abre no Santander Cultural. Com curadoria de Ceres Storchi, o projeto traz uma ampla visão da trajetória do escritor com registros de seu legado cívico, jornalístico, dramatúrgico, literário e pedagógico. Exposição traz um programa exclusivo e inédito de ação educativa com teatro, circo, cinema e seminário.

A exposição compreende ainda a família, o universo mítico das Lendas do Sul por onde a obra de Simões transita e o regionalismo dos Contos Gauchescos. Vale destacar que, de maneira inovadora, o autor dá voz ao gaúcho, além de valorizar a história e a tradição do homem do campo e a própria formação do território do Rio Grande do Sul.

Ao mesmo tempo em que ultrapassa tradições gaúchas com personagens densos, completos em suas peculiaridades, facilmente identificáveis em pessoas do cotidiano atual de diferentes regiões, o autor mundialmente reconhecido é fiel a uma cultura enraizada no povo do Rio Grande do Sul.

Para Marcos Madureira, vice-presidente executivo de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander, “a obra e a vida do escritor remetem a valores e características que o Banco busca transmitir aos visitantes em todas as mostras: inovação, pluralidade e contemporaneidade”.

Para Walter Lídio Nunes, presidente da Celulose Riograndense, “promover a vida e a obra de Simões Lopes Neto é muito mais do que exaltar as tradições e a cultura gaúchas, embora estes já fossem motivo suficiente para prestar-lhe uma homenagem. Simões Lopes Neto desperta nosso sentimento de pertencimento, nossa identidade, e a convicção de que a nossa terra e a nossa gente ainda têm muito para encantar o mundo”.

Já Silvio Bento, gerente de Cultura do Sesc/RS, para a instituição “apoiar as manifestações culturais significa promover a interação das comunidades com os fazeres artísticos e incitar a curiosidade, o conhecimento, e a cultura na sua essencialidade, e as ações alusivas ao Biênio Simoniano estão atreladas diretamente a esses preceitos”.

Simões Lopes Neto – onde não chega o olhar prossegue o pensamento é uma realização do Santander Cultural, Instituto Simões Lopes Neto e Sistema Fecomércio-RS/ Sesc, com patrocínio do Santander e CMPC | Celulose Riograndense por meio da Lei Rouanet, e parceria institucional do Governo do Estado do Rio Grande do Sul e das prefeituras de Porto Alegre e Pelotas, dentro das comemorações do Biênio Simoneano e Ano Simões Lopes Neto. Projeto e produção da Ato Produção Cultural.

Curiosidades sobre a mostra

Composição narrativa apresentada no grande hall e galerias térreas do Santander Cultural está dividida em dois eixos que convergem nas cartografias do próprio Simões e na cartografia do Blau Nunes. Blau é a forte herança deixada pelo escritor, o registro do tipo humano que desaparecia em um mundo em transformação, na paisagem do pampa e do mundo sulino.

O projeto cenográfico insere o público nos odores e sons combinados com projeções que dominam os primeiros momentos da visita, na cidade de origem de Simões, a Pelotas da transição do século XIX ao XX, palco de sua existência. Ao longo desse percurso, aparece um o mundo do escritor e suas traquinagens na Estância da Graça, além de sua vivência do urbano e seu mundo de inúmeras atividades culturais e diversificados empreendimentos.

A rica documentação de diferentes acervos testemunha as diversas atividades do escritor no âmbito da sociabilidade, do jornalismo, da visão cívica, do conhecimento da ciência, para além do seu talento literário. Sua produção teve, no efeito e ressonância póstuma, o reconhecimento do seu caráter inventivo e humanista.

Ilustrações de Edgar Vasques, baseadas em personagens dos Contos e Lendas, foram especialmente desenhadas para a mostra, que traz documentos originais que atestam o reconhecimento e apropriação da produção do escritor pelo mercado editorial, universidades e outras instituições culturais. Já as cartografias, genealogias e interações em videowall, são recursos gráficos construídos para entender o espaço e as relações da produção e vida do escritor.

Compartilhar: