Ricardo Villa | Luciana Caravello Arte Contemporânea

Em “Até começar a parecer ordem”, primeira exposição individual na galeria Luciana Caravello, Ricardo Villa apresenta sua produção mais recente, resultado de uma pesquisa aprofundada sobre as reflexões de grandes pensadores como Karl Marx e Adam Smith a respeito da estruturação da sociedade a partir de sua organização econômica.

Essa investigação, e o questionamento sobre o papel que cabe ao artista na sociedade capitalista, constituem a matriz conceitual que confere unidade ao conjunto de trabalhos, que utilizam, como é habitual na produção do artista, suportes distintos, neste caso principalmente colagens, recortes e esculturas, usando textos clássicos de teoria econômica e política, bem como cédulas de dinheiro.

A exposição apresenta cerca 50 obras, entre as quais: uma série de desenhos utilizando como linhas trechos de textos; uma série de origamis; uma trama colorida de cédulas de Cruzeiro e Cruzado – onde a ideia da alienação gerada pelo trabalho faz-se ainda mais evidente – e uma instalação, na qual 17 esculturas de pombos (produzidas a partir de resíduos de demolição e concreto) alimentam-se de um capítulo do livro “O Capital”. O título da exposição, “Até começar a parecer ordem”, surge numa das obras da série “Axiomas”, na qual o artista recorta cédulas de cruzeiro, cruzado e dólar.

Compartilhar: