Renato Morcatti | Caixa Cultural São Paulo

A Caixa Cultural SP recebe a mostra Pirajá, um conjunto de objetos cerâmicos de pequenos formatos realizados em três técnicas distintas – o entalhe, a modelagem e a fundição –, queimadas na técnica Bizen.

A mostra é composta por quatro séries: “Entre”, “Nós”, “Segredos” e “O Guardião”. Cada uma delas é feita de múltiplas pequenas peças que, dispostas em conjunto, alcançam a intenção do discurso do artista. – Eu sou um artista escultor e desenhista, logo, quando vejo a escultura, enxergo também o desenho dela. Trabalhar com cerâmica em grandes formatos é um processo difícil, é preciso uma olaria como a de Brennand em Pernambuco. Então, fui produzindo pequenas peças e passei a enxergar o desenho das esculturas não na unidade, mas no conjunto –, explica Morcatti.

Fernanda Lopes, que assina um dos textos críticos dessa mostra, destaca que “as séries de esculturas e desenhos apresentam para o público o interesse do artista pelo múltiplo, pela profusão, pela repetição e pela organização em conjuntos”.

Compartilhar: