Raul Mourão | Museu da República

“Fora/Dentro”, exposição do artista Raul Mourão, no Museu da República, dá indícios já pelo título a que se propõe. Não só através das obras apresentadas, mas também pelo deslocamento dos visitantes para conhecê-las: a Galeria do Lago abriga seus trabalhos menores, enquanto os jardins do Palácio serão ocupados por seis grandes esculturas de aço corten que chegam a medir mais de 4 metros. Sob a curadoria de Isabel Sanson Portella, que também é diretora da Galeria, maquetes, esculturas, objetos, fotografias e vídeo expõem o caráter ambíguo e lúdico de Fora/Dentro.

Dentro da Galeria do Lago, duas cadeiras com suas estruturas cortadas parecem emergir das paredes, enquanto uma estante enfileira maquetes que reproduzem as esculturas cinéticas distribuídas pelos jardins. Segundo a própria curadora, “uma estante que é também objeto de arte contendo arte”.

O vídeo Bang-Bang toca, ao longo de seis minutos, em slow motion, em questões como a fragilidade e a resistência da arte. Seis diferentes esculturas que combinam a geometria em aço com bases de garrafas de vidro têm sua parte frágil estilhaçada por um tiro. Produzido em 2017, dialoga com um momento de censura à liberdade de expressão instaurada na arte contemporânea brasileira. Ao incorporar a arma de fogo como parte da obra, o tema da violência volta à produção do artista, uma vez que Raul realizou, ao longo de vários anos, inúmeros trabalhos que remetiam às grades que cercam os centros urbanos.

Na obra Seta Joaquim Selva, 21 fotografias ampliadas trazem os muros da cidade para o interior da Galeria. Os padrões gráficos, as setas vermelhas dos tapumes urbanos, que tanto interessaram ao artista, saíram das ruas para o seu ateliê na rua Joaquim Silva..

“As esculturas em aço apresentadas pelo artista ao ar livre contêm rigidez e movimento, mas contam também de segurança e contenção. Em cada obra os opostos têm voz e seguem narrando continuamente suas histórias, de outras histórias, de outras histórias. Como as miniaturas das obras expostas dentro da Galeria, em uma estante que é também objeto de arte contendo arte, mostrando e criando arte”, analisa  a curadora da exposição Isabel Portella.

Compartilhar: