O artista visual Randolpho Lamonier apresenta a inédita exposição “Vigília”, na galeria Genesco Murta, no Palácio das Artes.  O público terá contato com obras em diversos formatos, como fotografias, pintura, monotipia, vídeo e tecelagem. As peças dialogam com a precariedade da vivência cotidiana na cidade de Contagem e baixo centro de BH, retratando o lado institucional, ecológico e vital. Após cinco anos de exposições coletivas, Lamonier apresenta sua primeira individual numa grande instituição, a convite do programa “Arteminas”, responsável por promover o trabalho de artistas mineiros de gerações e linguagens distintas, com reconhecimento nacional e internacional.

Randolpho Lamonier, representado pela Galeria Periscópio, explica que a exposição é construída sobre uma narrativa periférica, apresentando a investigação de espaços, registros de diferentes aspectos da cidade, e momentos de intimidade. A história contada pela exposição tem uma influencia da trajetória do artista, com início em Contagem, sua cidade natal e, atualmente, fixada no centro de BH.

A exposição varia entre obras inéditas e outras já expostas e premiadas, como “Crônicas de Retalho”, série de obras em tapeçaria que teve duas peças expostas e premiadas na Bienal Naïfs do Brasil em 2016. “A obra apresenta questões sociais como a luta por moradia e trabalho, violência policial, retratando desde a história de um amigo assassinado até situações do cotidiano de minha família e outras pessoas próximas”, relata.

Compartilhar: