Rafael Adorján apresenta "Religare" na Amarelonegro Arte Contemporânea

Amarelonegro Arte Contemporânea apresenta "Religare" de Rafael Adorján.

De 27 de janeiro a 27 de fevereiro, a galeria de arte Amarelonegro Arte Contemporânea apresenta a mostra individual Religare, de Rafael Adorján. O projeto Religare foi realizado a partir do Prêmio Arte e Patrimônio 2014, do IPHAN/MInc e participou de exposição coletiva no Paço Imperial ano passado.  Em 2015, será apresentada pela primeira vez a série completa, com 33 fotografias. Religare é composto por uma seleção de imagens realizadas em períodos de convivência com a comunidade do Vale do Matutu, localizado na no município de Aiuruoca, sul de Minas Gerais. A mostra expressa a relação dessa comunidade com a doutrina do Santo Daime, manifestação religiosa de origem cristã caracterizada pelo uso sacramental da bebida Ayahuasca. Trata-se uma doutrina de origem brasileira, considerada patrimônio imaterial de nossa cultura.

“Minha relação com a doutrina iniciou-se através de meu pai, integrante há pelo menos 20 anos. A partir desse elo, iniciei a minha própria jornada particular, trilhando caminhos e construindo relações com pessoas e lugares que mantém uma ligação mais aprofundada com o Daime no Matutu. Religare é fruto dos meus períodos de convivência naquela região, de coração aberto e respeitoso, após a afirmação de uma aproximação de confiança, no intuito de viver em harmonia a delicadeza de um tempo-espaço próprio.” Rafael Adorján.

A abertura da mostra, no dia 27 de janeiro, também contará com o lançamento de um fotolivro composto pelas 33 imagens da série e textos de textos de apresentação de Roberto Conduru e do próprio artista, Rafael Adorján, editado pela Pingado-Prés de São Paulo, com tiragem de 300 unidades.

Religare
Confia, confia

Confia no poder, confia no saber

Confia na força

Aonde pode ser 

Trecho do Hinário O Cruzeiro, do Mestre Irineu. Hino 119, Confia.

Religare significa “ligar, juntar, unir”, a re-ligação do homem com a natureza e a si mesmo, um caminho espiritual manifestado pela liturgia característica dos trabalhos do Santo Daime, onde se louva o hinário de seus Padrinhos, e na sua culminância, o feitio, que é o preparo sacramental da Ayahuasca: bebida enteógena relacionada à doutrina espiritual do Santo Daime, produzido através da união de duas plantas: obanisteriopsis caapi, conhecido popularmente como jagube ou mariri, e a psicotria viridis, popularmente denominada como rainha ou chacrona.
O Santo Daime é uma manifestação religiosa de origem cristã surgida no Acre, no início do século XX. Simbolizada pelo Santo Cruzeiro, seu fundador foi Raimundo Irineu Serra, o Mestre Irineu, portanto trata-se de uma doutrina de origem brasileira, considerada patrimônio imaterial de nossa cultura.
Minha relação com a doutrina iniciou-se através de meu pai, em períodos de convivência com a comunidade do Vale do Matutu, localizado na Serra do Papagaio, dentro da Área de preservação ambiental da Mantiqueira, no município de Aiuruoca, sul de Minas Gerais.
Mantive os relatos de meu pai, que é fardado nesta doutrina há cerca de 20 anos, em meu imaginário e pude perceber como a sua vida foi se transformando de acordo com a intensidade de seu envolvimento com a mesma. Porém, a experiência não pode ser transferida em sua totalidade de sensações. Foi preciso então iniciar a minha própria jornada particular, trilhando caminhos e construindo relações com pessoas e lugares que mantém uma ligação mais aprofundada com o Daime no Matutu. Religare é o fruto dos meus períodos de convivência naquela região, de coração aberto e respeitoso, após a afirmação de uma aproximação de confiança, no intuito de viver em harmonia a delicadeza de um tempo-espaço próprio.

Rafael Adorján

Dai-me fotos

Em Religare, as imagens são “mirações”, como Mestre Irineu, fundador do Santo Daime, nomeou as visões propiciadas pela Ayahuasca, a bebida fundamental na doutrina. Miradas em conexão com o mundo, mas primordialmente voltadas à interioridade.

A narrativa engendrada por Rafael Adorján na edição das imagens procura tornar compreensível o culto, sua história e dia a dia no vale do Matutu. Mas também expressar como ele a vivenciou e como a experiência o afetou, especialmente no domínio fotográfico.

No Santo Daime, a pessoa se doutrina para colher dádivas. Em Religare, Rafael Adorján nos dá a ver que na fotografia, mais do que o instante decisivo de captura visual de singulares situações, importa o processo de preparação para receber imagens como presentes do mundo.

Roberto Conduru

 

Serviço: Religare
Local: Amarelonegro Arte Contemporânea: Rua Visconde de Pirajá, 111 – Ipanema, RJ.
Tel: (21) 2549-3950.
Abertura da mostra: 27 de janeiro, terça-feira, às 19h.
Período: de 27 de janeiro (abertura da mostra e lançamento do Fotolivro) a 27 de fevereiro de 2015.
Horário de visitação: de terça à sexta, das 10h às 19h e sábado, das 10h às 16h
Classificação: livre
Entrada gratuita.

 

Compartilhar: