Paulo Werneck no Museu de Arte da Pampulha

Exposição de Paulo Werneck com curadoria de Claudia Saldanha em Belo horizonte

Depois de Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Recife, a exposição Paulo Werneck – muralista brasileiro inaugura no dia 15 de novembro no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte. Desenhos originais, imagens de painéis, filmes, documentos e mobiliário compõem a mostra do ilustrador e artista carioca, que colaborou com grandes nomes da arquitetura brasileira, como Oscar Niemeyer e os irmãos Roberto. A exposição foi contemplada pelo Programa Petrobras Cultural 2013.

A chegada da mostra a Belo Horizonte tem um significado especial, já que entre as obras de maior de destaque da carreira de Paulo Werneck (1907-1987) estão os painéis da Igreja São Francisco de Assis e o painel da Casa de Juscelino Kubitschek, na Pampulha, realizadas em 1943. A edição mineira da exposição será a mostra mais completa já realizada sobre o trabalho de Paulo Werneck no Brasil, criando um panorama da evolução da arquitetura moderna no país através dos murais criados pelo artista. Além dos famosos painéis da Pampulha, são obras de Werneck os painéis do Estádio do Maracanã, do Ministério da Fazenda (Rio de Janeiro), do Senado e do Palácio do Itamaraty (Brasília), e da agência do Banco do Brasil no Recife Antigo (Recife), entre outros 300 murais para residências, prédios públicos e comerciais. Seus trabalhos estão expostos a céu aberto, permeando o espaço público de várias cidades brasileiras.

Para Claudia Saldanha, curadora da mostra e neta do artista, “Paulo Werneck introduziu o uso do mosaico como complemento a projetos arquitetônicos no Brasil. Em 1942, convidado por Marcelo Roberto, fez seu primeiro painel para o terraço do Instituto de Resseguros do Brasil. Sua longa colaboração com arquitetos modernistas valorizou espaços e empenas de edifícios públicos e residenciais”.

Os visitantes podem conferir um total de 150 projetos para painéis em guache sobre papel, documentos, reproduções fotográficas e ilustrações do artista para livros infanto-juvenis como “A Lenda da Carnaubeira” e “Negrinho do Pastoreio”. O documentário Paulo Werneck – arte e raiz, dirigido por Paula Saldanha e o vídeo P.W. Pincéis e painéis, de Vivian Ostrovsky, completam a imersão no universo do artista.

Compartilhar: