Matias Mesquita – Traços de Impermanência na Zipper Galeria

A Zipper Galeria inaugura juntamente com o 6º Salão dos Artistas Sem Galeria, a exposição Traços de Impermanência, individual de Matias Mesquita, artista carioca radicado em Brasília.

A Zipper Galeria inaugura juntamente com o 6º Salão dos Artistas Sem Galeria, a exposição Traços de Impermanência, individual de Matias Mesquita, artista carioca radicado em Brasília. A mostra marca o início da parceria triangular entre a Zipper, o Ateliê397 e o Elefante Centro Cultural, tendo em vista a criação e ampliação de espaços de diálogo e intercâmbio entre diferentes artistas, curadores e instituições.

Com texto de apresentação de Manuel Neves, a exposição traz trabalhos recentes do artista, apresentando a série Impermanência, em que a imagens realistas do céu de Brasília, tomadas pelo artista, são delicadamente pintadas sobre a dureza e rispidez de blocos de cimento, tão presentes na banalidade da vida urbana. Nas palavras de Neves, “esse instante efêmero, capturado e reproduzido pictoricamente, parece fixado, preso no concreto, como um lembrete de sua beleza frágil, sua provisória memória, e da inexorável passagem do tempo.”

Mesquita apresenta, também, trabalhos de uma segunda série, realizada especialmente para esta mostra e ainda sem título, que aborda a representação da fila, “emblema performático da burocracia, do controle e da coesão social”, segundo Neves, tratando da inconformidade da vida individual e orgânica dos seres humanos com a cidade racional e planejada, posta metaforicamente nas peças modulares de madeira, gesso, cimento e drywall, unidades fundamentais da construção da cidade moderna.

Sobre o artista

Graduado em Desenho Industrial/Comunicação Visual pela PUC-Rio, Matias Mesquita vem, desde 2009, participando em diversas mostras coletivas, com destaque para as realizadas nas galerias A Gentil Carioca, Luciana Caravello e AmareloNegro, no Rio de Janeiro; nas galerias Emma Thomas e Oscar Cruz, em São Paulo; e no Phoenix Institute of Contemporary Art (phICA), nos EUA.

Vencedor do prêmio IBRAM na ArtRio 2011 e terceiro colocado no Prêmio 20º Encontro de Artes de Atibaia, realizou, em 2012, sua primeira exposição individual, Incontáveis, na galeria A Gentil Carioca, que desde então representa o artista no Rio de Janeiro. Podemos citar ainda a individual “O Que Pesa Mais” realizada em 2013 também na Gentil Carioca e “Impermanência” realizada em 2014 no Elefante Centro Cultural em Brasília.

Desde 2013 vive e trabalha em Brasília, onde foi fundador, ao lado da gestora cultural Flavia Gimenes, do Elefante Centro Cultural, espaço autônomo de artes visuais que convida e estimula artistas e curadores a desenvolver projetos de produção contemporânea.

Desde 2013 vive e trabalha em Brasília, onde foi fundador, ao lado da gestora cultural Flavia Gimenes, do Elefante Centro Cultural, espaço de arte autônomo que convida e estimula artistas e curadores a desenvolver projetos de Artes Visuais.

Serviço

Abertura: Sexta-feira, 23 de Janeiro, das 19h às 22h
De 24 de janeiro a 21 de fevereiro, 2014
Segunda a sexta das 10h às 19h
Sábados das 11h às 17h

Compartilhar: