Marcelo Rezende | Espaço Cultural Correios

“Potências periféricas” tem a curadoria de Mário Camargo e apresenta obras em grandes dimensões, que levam ao público experimentações pictóricas a partir da cultura periférica.

O potencial criativo e estético do artista objetiva valorizar e criar um diálogo da cultura da periferia com o centro da cultura nacional. A técnica empregada é assemblage de sua própria pintura e outros materiais. Estas pinturas são resultado de pesquisas e desenvolvimento de experimentos muito particulares de Marcelo Rezende, que já apresentou exposições no Brasil e no exterior.

Nesta produção, ele utiliza técnicas de transferência espacial de matéria pictórica e cria, portanto, novos campos visuais.

A arquitetura do subúrbio, a estética kitsch, a cultura, a religião e os hábitos são abordados nas obras de “Potências periféricas”. A criatividade dos ambulantes com suas caixas de isopor decoradas com fitas adesivas, por exemplo, é tema de dois trabalhos.

As obras  mostram uma releitura da realidade. Uma exposição instigante, real, importante e com belas obras, que promovem o discurso e proporcionam ao espectador a contemplação e novas percepções sobre a cultura que nasce nos arredores.

Compartilhar:
Caixa SP