Mar sem fim

As fotos de Leonardo Ramadinha carregam forte relação com os versos de Sophia de Mello Beyner Andersen e usa o mar como objeto de estudo.

O Gabinete D Imagem, galeria especializada em obras em papel, recebe as obras do fotógrafo Leonardo Ramadinha para a exposição intitulada “Mar sem fim”. As fotos carregam forte relação com os versos de Sophia de Mello Beyner Andersen e estarão expostas de 03 a 21 de setembro, na galeria que agora também é sua representante oficial.

Ramadinha e a poetisa portuguesa Sophia de Mello Beyner Andersen (1919 – 2004) compartilham o mesmo objeto de estudo: o mar. Dele, extraem a beleza, a calmaria e a paz, mas também o lado cruel da solidão e da distância. Para explorar estas metáforas, quinze fotografias, incluindo dípticos e polípticos, apresentadas em diversos tamanhos e produzidas em Angra dos Reis (RJ) entre janeiro e março desse ano, foram cuidadosamente selecionadas.

Sempre presente nas obras do fotógrafo, o mar se torna um símbolo de transformação e, sob essa perspectiva, é retratado de forma poética. Ele aparece marcado com versos da poetisa, misturando-se com o céu e ao lado de imagens com significados religiosos. Também surge com movimento e ganha personalidade por meio da variação de cores. As obras apresentadas em “Mar sem fim” e os poemas de Sophia possuem uma ligação natural, e têm a obsessão pelo mar como principal ponto de encontro.

Compartilhar: