Luiz Sôlha | Dconcept

© Divulgação

A exposição “Cineramas”, do artista Luiz Sôlha com curadoria de Ricardo Resende, é composta por 14 pinturas que registram a obsessiva observação do movimento das águas e as mudanças de luz e tonalidades do mar e do céu.

Em busca do silêncio da memória, as pinturas inéditas apresentadas nessa exposição retratam o intervalo de tempo entre uma onda que se quebra e outra que se forma. São imagens seriadas fixadas na mente do artista como fotografias de memória, registradas pacientemente em manhãs e tardes de 2015, na Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Quando observadas quadro a quadro, as pinturas à óleo soam como uma longa projeção de cinema, convidando o espectador a uma narrativa sobre o silêncio da memória, o barulho das ondas e o movimento das águas azuis de Ipanema.

Luiz Sôlha, conhecido por suas pinturas figurativas hiper-realistas e densas, cresceu na cidade praiana de Monguaguá, litoral sul do Estado de São Paulo. Filho de um ferroviário durante o dia e projecionista durante a noite, cresceu dentro do único cinema da cidade, e acostumou seu cérebro a olhar quadro a quadro o mundo ao seu redor. Sua pintura é totalmente influenciada por esta memória cinematográfica, caracterizando a sua maneira de pintar perfeccionista, que pode superaras qualidades pictóricas de uma fotografia.

Compartilhar: