Lia do Rio | Parque Nacional da Tijuca

No dia 2 de setembro, a obra “Aion”, da artista visual contemporânea Lia do Rio, será reinaugurada no Parque Nacional da Tijuca. Redescoberta por um guia de turismo, em estado de abandono, a obra foi totalmente recuperada pela ação de voluntários. Após três meses de trabalho, uma celebração no local comemora a iniciativa, com a presença da artista e do guia responsável pelo projeto.

Inaugurada em 1997, a obra “Aion” (um dos deuses gregos do tempo) rodeia o tronco de uma árvore secular, com uma frase feita em cimento. O título refere-se à questão do tempo e das intempéries. O trabalho chamou a atenção de Anderson Ribeiro, guia especializado na Trilha Transcarioca, que passou a incluí-la no roteiro turístico. “No caminho a pé que vai da Barra de Guaratiba ao Pão de Açúcar, passando pela Floresta, há várias obras de arte em estado de abandono. Essa me chamou particularmente a atenção”, conta ele. “A obra da Lia estava praticamente invisível, encoberta por plantas e raízes. Entrei em contato com ela e decidimos reunir um grupo de pessoas, entre historiadores e gestores do parque, para restaurar esse patrimônio”, explica Anderson.

Os trabalhos começaram no dia 27 de maio e foram divididos em três etapas. Primeiro, o grupo fez uma limpeza no local, tirando a terra e as folhas em decomposição que encobriam parte da obra, sempre respeitando a natureza, sem danificar as raízes. O segundo momento foi a etapa de cimentação, com mão de obra especializada. A reinauguração foi marcada para 2 de setembro, domingo, com a presença dos envolvidos na ação. A recuperação da obra está sendo documentada em fotos e vídeo, se transformando em um novo trabalho de arte. “Tornar-me uma arqueóloga do meu próprio trabalho é instigante e tem a ver com esse TEMPO, a cada momento, sempre PRESENTE. Por outro lado, saber que a obra é um ponto turístico, está sendo para mim gratificante”, diz a artista.

Compartilhar: