Las Caras de Cervantes | Instituto Cervantes

Julio Basle

A ideia de mostrar como o maior escritor em língua espanhola de todos os tempos era visto no imaginário dos artistas deste lado do Atlântico surgiu em uma sala
de aula do Instituto Cervantes. Tudo começou com uma atividade para lembrar o IV Centenário da morte do escritor, no ano passado. Os alunos criaram dois
poemas, coletivos e em espanhol, sobre Cervantes, que serviram de inspiração aos vinte e um artistas que apresentam seus trabalhos nesta exposição. “Las Caras
de Cervantes” abre suas portas no dia 22 de junho em São Paulo e o público poderá conhecer um pouco melhor o personagem mais célebre das letras espanholas.

Grafite, aquarelas, fotomontagens, pinturas, mosaicos e inclusive bordado, entre outros, plasmam o rosto imaginário do grande escritor da língua espanhola, do qual apenas se sabe que tinha um nariz grande e reto, e seis dentes, isso segundo sua própria auto- descrição, que consta em sua “Novelas Ejemplares”.
Cada uma das obras vem acompanhada de versos do próprio escritor, selecionados especialmente pelo grande cervantista, o espanhol José Montero Reguera, que começou a colaborar com o projeto já na idealização do mesmo. Assim, unindo as artes plásticas à poesia, o público poderá conhecer a faceta menos conhecida de Cervantes, a de poeta.

Os versos inspiradores das obras, as escritas pelos alunos de espanhol, trazem Cervantes até terras brasileiras, o o mesmo faz a artista espanhola radicada há anos no País, Teodora Freire, ao incluir na sua fotomontagem referências de Lampião.

Artistas nacionais e de outros países da América Latina participam desta exposição que tem curadoria da também cervantista, Marta Pérez Rodríguez, e de Carlos Jiménez da Gode, galeria online radicada em São Paulo. “Las caras de Cervantes” pode ser visitada até o dia 29 de julho.

Compartilhar: