Júlia dos Santos Baptista | Bienal das Artes 2018

A artista brasiliense Júlia dos Santos Baptista, que vive e trabalha entre Amsterdã (Holanda) e Brasília, participa da segunda edição da Bienal das Artes – 2018, promovida pelo Sesc. Sua produção reúne elementos da cultura popular de diversos cantos do planeta por onde passou e refletem questões sociais e políticas surgidas na sociedade contemporânea, como os movimentos migratórios de refugiados, a maternidade precoce de meninas mal saídas da infância, o crescimento acelerado das grandes metrópoles e suas consequências na vida das pessoas, a distopia e a apatia.

A produção da artista se divide em coleções, como ela prefere chamar os conjuntos de obras. Para a Bienal das Artes – 2018 que acontece de 26 de junho a 26 de julho na pérgola do Shopping Pátio Brasil, em Brasília, a artista apresentará a “Kimono Brasileirinho” da “Coleção Kimono”, em óleo e pigmento com recortes de tecidos de chita sobre linho.

Essa Coleção expressa na pintura o sentido de universalidade, aspecto apreendido por Júlia através de vivências internacionais, como demonstram os kimonos japoneses, o Hanfu chinês e as vestimentas Hmong vietnamitas, entre outros símbolos. Essas peças de vestuário oriental são realizadas em materiais delicados, como a seda, rica e finamente bordados por mãos de excepcional habilidade. Na Coleção Kimonos, a artista ressalta a importância do legado das gerações passadas entregues à geração contemporânea e que ficará para as futuras com suas expressões de orgulho e de propósitos.

Ao lidar com o delicado e paciente trabalho de bordadeiras orientais, Júlia orienta a artesania milenar em favor de uma poética pessoal. A artista procura destacar os patrimônios material e imaterial representados por essas tradições combinando-os com tecidos e estampas folclóricas brasileiras, estabelecendo assim o espírito atemporal e universal das tradições nelas contidas.

Compartilhar: