Gato mia, cachorro late, ego mata

O nome da mostra coletiva organizada pela Galeria Tina Zappoli já demonstra a que veio. Repleta de ousadia e diversidade, Gato mia, cachorro late, ego mata terá vernissage no dia cinco de setembro, sexta-feira, às 19h. A provocação que motivou o título da mostra coletiva é “o ego mata”. E mata o quê? A crítica de arte Paula Ramos define que talvez seja o mais simples: a chance de olhar para o lado e perceber que o outro, com aquilo que lhe é próprio e singular, pode ser um continente, e que somos construídos pelo convívio e compreensão das diferenças e pluralidades. Sérgio Lucena, um dos artistas participantes da mostra coletiva, destaca ainda que essa é uma reflexão muito oportuna à nossa época.

E fugindo de um conceito ‘egocêntrico’, a exposição coletiva reúne pinturas, papéis, fotografias e esculturas de artistas brasileiros que trabalham com linguagem contemporânea. As obras são de artistas paulistas como Anete Ring, Felipe Cretella, Klaus Mitteldorf, Lorena Hollander, Antonio Hélio Cabral e Sergio Lucena; das catarinenses Dirce Korbes e Juliana Hoffmann; e de gaúchos como Fernanda Chemale, Fernanda Valadares, Itelvino Jahn, Marinho Neto, e Roger Monteiro. Obras de Maria Lídia Magliani e Iberê Camargo também compõem a mostra. Serão exibidas aproximadamente 45 obras que dialogam entre si sobre o contemporâneo, muitas delas bem ousadas, e que irão fazer o público refletir e olhar duas vezes para o lado.

Gato mia, cachorro late, ego mata estará em cartaz entre setembro e novembro de 2014 e promete movimentar a cena das artes visuais na cidade neste segundo semestre. Confira a lista completa dos artistas participantes.

Anete Ring (SP): a artista paulista é também arquiteta formada pelo Technion Institute of Technology em Israel. Já apresentou diversas mostras individuais e também participou de mostras coletivas pelo mundo, como na famosa Bridge Gallery de Beijin, na China. Na galeria Tina Zappoli ela expõe quatro pinturas da série Horizontes, todas inédita em Porto Alegre.

Antonio Hélio Cabral (SP): pintor, desenhista, gravador, escultor e autor de livros sobre suas ideias sobre a arte, Cabral já participou de inúmeras bienais e feiras de arte no Brasil e no exterior. Em Porto Alegre ele apresenta obras de sua atual dedicação principal, a pintura.

Dirce Korbes (SC): a artista plástica já participou de exposições na Itália, Alemanha, Espanha e Holanda. Para a exposição ‘Gato mia’, ela reservou trabalhos da série “Paisagens Urbanas”. São imagens de centros urbanos e suas atmosferas que convidam à reflexão sobre a urbanização caótica.

Felipe Cretella (SP): um fotógrafo de origem urbana é um bom conceito sobre o artista paulista que já teve o seu trabalho reconhecido pela Internacional Photography Awards de Nova Iorque. Felipe foi um dos destaques da mostra coletiva Um Novo Horizonte, em 2013, na Galeria Tina Zappoli. Agora ele retorna com novas mostras do seu trabalho sempre inovador.

Fernanda Chemale (RS): reconhecida fotógrafa e artista visual, Fernanda trabalha questões relacionadas à fotografia e memória, desenvolvendo projetos na vertente autoral e documental. Na mostra, ela expõe fotografias de lugares pelo mundo, sempre com o visual ‘a la Chemale’.

Fernanda Valadares (RS): paulista radicada em Porto Alegre, ela atualmente faz mestrado em poéticas visuais pelo Instituto de Artes na UFRGS. Na Galeria Tina Zappoli, ela expõe trabalhos da série Adega Evaporada, com a técnica de pintura encáustica sobre chapa naval.

Iberê Camargo (RS): obras reconhecidas e sempre vanguardistas do artista, com técnica de tinta gráfica sobre tecido, serão expostas durante a mostra.

Itelvino Jahn (RS): o trabalho de Itelvino reúne arte e natureza, com as reconhecidas esculturas criadas a partir de árvores mortas. O artista vem ganhando cada vez mais prestígio pela beleza e consciência de sua obra.

Juliana Hoffmann (SC): com passagens por galerias de Paris, Carolina do Norte (EUA), São Paulo e Turim, Juliana traz a Porto Alegre obras que mesclam fotografia, e técnica mista sobre tela e vidro.

Klaus Mitteldorf (SP): um fotógrafo sempre a frente do seu tempo, ele traz uma mostra de seu trabalho a Porto Alegre. Paulista, ele começou muito cedo na fotografia e logo teve seu trabalho reconhecido com publicações em revistas como Vogue, Casa Vogue e Veja. Ele participou do primeiro documentário super 8 sobre surf no Brasil, o Terral.

Lorena Hollander (SP): artista plástica e musicista, a paulista já apresentou sua arte em lugares como China e Europa, além de participar de projetos importantes no Brasil. Para a galeria Tina Zappoli, ela traz obras imponentes como Grafite, Emissão e Sopro.

Maria Lídia Magliani (RS): a artista gaúcha morreu no Rio de janeiro em 2012, deixando uma vasta e instigante obra, e algumas estarão em exposição na galeria, durante a mostra coletiva.

Marinho Neto (RS): o que podemos ver na obra do artista – e sempre inquieto – Marinho Neto, é a busca de sempre transformar a realidade externa em uma realidade interior. Por isso as cenas urbanas são sempre matéria prima para o seu trabalho, como nas obras “Cenas de Rua” e “Hablando por el móvil” que estarão em exposição na mostra.

Sergio Lucena (SP): o artista paraibano radicado em São Paulo já participou de exposições, residências e intercâmbios culturais na Alemanha, Washington DC e Dinamarca. As pinturas do artista compõe a mostra coletiva.

Roger Monteiro (RS): o artista e ‘provocador profissional’ leva à mostra ousadas telas com a técnica de manipulação digital sobre fotografia. As obras fazem parte da série Porn? No.Graphics, na qual ele reflete sobre estereótipos da cultura ocidental sobre o feminino.

Compartilhar: