Festival de Arte de Tiradentes – SESI Centro Cultural Yves Alves

© Divulgação

No Festival de Arte de Tiradentes, todas as linguagens artísticas contempladas se complementam, alinhadas pelo mote curatorial “Elogio à Loucura” – uma homenagem a famosa psiquiatra Nise da Silveira.

A programação da vertente Artes Visuais apresentará obras de artistas brasileiros e estrangeiros. As ilustrações para o livro “Brutus”, da famosa animadora e ilustradora russa Svetlana Filippova, retratam as atrocidades cometidas pelo ser humano durante o Holocausto, período mais sombrio da história do século XX, através do olhar do cão Brutus. A ilustradora e diretora realizou também um desenho animado homônimo, que vem recebendo os mais importantes prêmios nos festivais internacionais e que também será exibido durante o Festival Artes Vertentes.

Outro artista internacional presente no festival será o palestino Qais Assali , que apresentará a vídeo-instalação “1948”. Assali é um dos principais artistas do seu país e a instalação “1948” recebeu o prêmio de artes visuais do Festival Palest’In & Out, em Paris. O título do trabalho faz referência ao ano em que a Palestina deixa de existir oficialmente, sob o silêncio da grande mídia. Após realizar uma extensa pesquisa nos arquivos mundiais, o artista menciona diversos eventos que aconteceram naquele ano.

O artista paulista Peter de Brito foi convidado a preparar uma instalação especialmente para o Festival. Para isso, desenvolveu “Darcy Dias”, uma personagem fictícia com quem ele trabalha há anos, uma homenagem a seu alter ego. Uma provocação de gênero que entra em diálogo com os espetáculos cênicos apresentados por Charles Gonzalès, que se metamorfoseia em três mulheres; e com o filme “A Lei do Desejo”, de Pedro Almodóvar, ambos apresentados durante o evento.

A programação apresenta ao público também o impressionante arquivo obre o Hospital Colônia, em Barbacena (MG), pelo fotógrafo Luiz Alfredo, da extinta Revista Cruzeiro. “Este é um dos principais documentos visuais que registram a tragédia ocorrida em Barbacena e a omissão de toda a sociedade diante de uma prática manicomial absolutamente desumana”, comenta Luiz Gustavo Carvalho, diretor artístico e curador das exposições. A história do Hospital Colônia será abordada também em palestra da escritora Daniela Arbex, autora do livro “O holocausto brasileiro”; e no espetáculo “Nos Porões da Loucura”.

Em parceria com a Universidade Federal de São João Del Rei, o Festival Artes Vertentes apresenta a exposição “Fernando Diniz e o cinema”, no Solar da Baronesa, em São João Del Rei (Praça Dr. Augusto das Chagas Viegas, 17 – 14 quilômetros de distância de Tiradentes). O trabalho exibe 19 telas realizadas por Fernando Diniz nos ateliês de pintura organizado pela psiquiatra Nise da Silveira no Centro Psiquiátrico D. Pedro II, no Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro.

As informações contidas na agenda são de responsabilidade dos museus e galerias e não representam a opinião da Dasartes.

Compartilhar: