Espaços Deslocados – Futuros Suspensos: Repensando Oscar Niemeyer

O coletivo de artistas e pesquisadores Suspended Spaces (Espaços Suspensos), com base em Paris, investe na cidade de Niterói como um campo aberto de investigações artísticas, contrapondo a experiência libanesa das ruínas de obras de Oscar Niemeyer em Trípoli

“Espaços Deslocados – Futuros Suspensos: Repensando Oscar Niemeyer” – abertura: 6 de setembro, às 17h. Exposição até 30 de novembro.
Curadores: Luiz Guilherme Vergara e Coletivo Suspended Spaces.
Artistas: Françoise Parfait (França), Eric Valette (França), Jan Kopp (Alemanha-Itália), Lamia Joreige (Líbano), Daniel Lê (França), Valérie Jouve (França), Maïder Fortuné (França), Marcel Dinahet (França), André Parente (Brasil), Analu Cunha (Brasil) Luiza Baldan (Brasil), Luciano Vinhosa (Brasil) e João Modé (Brasil).

Descrição: o MAC de Niterói, em colaboração com o coletivo de artistas e pesquisadores Suspended Spaces (Espaços Suspensos), com base em Paris, investe na cidade de Niterói como um campo aberto de investigações artísticas, contrapondo a experiência libanesa das ruínas de obras de Oscar Niemeyer em Trípoli, com uma nova etapa de cooperações internacionais incluindo artistas brasileiros em 2014. As obras do arquiteto Oscar Niemeyer em Niterói serão o ponto de partida para esse laboratório urbano de deslocamentos entre espaços do imaginário modernista e o cotidiano de práticas da cidade. Tanto Trípoli – Rachid Karami International Fair (Líbano) – quanto à cidade de Famagusta, no Chipre, foram marcadas por uma guerra civil que interrompeu a conclusão das obras de Niemeyer, como uma utopia modernista inacabada e hoje como ruínas de um futuro. Niterói, por sua vez, ainda tem pela frente o desafio da integração urbana e social entre o Caminho Niemeyer e a vida da cidade. O projeto “Espaços Deslocados – Futuros Suspensos” traz como proposição conceitual e crítica a vivência de artistas franceses, libaneses e brasileiros com a realidade dessas fronteiras entre as visões modernistas de Niemeyer e os desafios cotidianos da cidade de Niterói.

Esta proposta investe também no conceito de “artista pesquisador” sob uma perspectiva transcultural cruzando realidades urbanas contemporâneas, Niterói e Trípoli, confrontadas por obras e utopias do legado e processos de construção de espaços visionários de Oscar Niemeyer. Trípoli, Famagusta e Niterói são tomados como campos de semelhanças e diferenças para o desenvolvimento de 13 projetos de residência artística conjugando experiências de 6 artistas franceses, 1 libanesa, 1 ítalo-germânico e 5 brasileiros. Além de investir em intercâmbios, encontros, debates e pesquisas em processos e práticas artísticas em realidades urbanas adversas, o MAC de Niterói acolherá a exposição final, cruzando os resultados das investigações em Trípoli e em Niterói.

Suspended Spaces (suspendedspaces.net) é um coletivo independente baseado em Paris, Caen e Berlim. Reunido desde 2007, o coletivo atua, sobretudo, pelo desejo de seus membros de trabalhar em conjunto e em colaboração com outros artistas e pesquisadores internacionais.

Compartilhar: