Edifício Planalto: 60 anos de cor em São Paulo

A exposição “Edifício Planalto: 60 anos de cor em São Paulo”, com curadoria de Felipe Grifoni (Refúgios Urbanos/ Prédios de São Paulo) e produção de Mariana Nobre (Atelier do Futuro/ Espaço Cultural Porto Seguro), estará aberta ao público a partir do dia 3 de agosto, no térreo do edifício. A mostra apresenta desde os desenhos iniciais do prédio e fotografias antigas, vindas do acervo da família de João Artacho Jurado, autor do projeto, incluindo imagens cedidas por moradores e colaboradores, até fotografias profissionais, de Emiliano Hagge, do Prédios de São Paulo e de outros fotógrafos, como Gal Oppido e Edu Leporo Fotografia. Também serão exibidos móveis cujo desenho é atribuído ao autor do prédio.

A exposição tem por objetivos explicitar a importância do edifício para a cidade de São Paulo, sendo um dos ícones que representam a expansão do centro antigo, e também evidenciar o projeto, que apresenta grande diversidade de formas, cores e materiais. Segundo Gian Carlo Gasperini, a mais “Wightiana” da carreira de Artacho.

Outros destaques da exposição:

Revirando memórias:

Além de fotografias, o público pode interagir com 3 instalações. Em pequenas malas antigas, é possível vasculhar monóculos com o histórico do prédio –desde lembranças de moradores, publicações em redes sociais até momentos importantes, como cenas de novelas, seriados, clipes e propagandas de grandes marcas. Em outra instalação, foram impressas em pastilhas (elemento característico do autor) fotos de admiradores, que usaram a hashtag #EdificioPlanalto ou marcaram a obra como localização, orgulhosamente, em seus perfis do Instagram. E, na terceira mala, o público pode remexer tecidos, com imagens impressas em suas tramas.

Edifício Planalto:

“Depois de uma viagem ao Rio de Janeiro, logo apôs a construção do Edifício Viadutos, Artacho Jurado voltou à São Paulo com uma ideia na cabeça. A Arquitetura do Rio lhe parecia alegre, colorida e inspiradora, já a de São Paulo via como algo triste, cinza e monótona. Foi assim que Jurado comprou um terreno na Rua Maria Paula perto do “Viadutos” e decidiu seguir com seu plano de trazer para São Paulo uma arquitetura mais colorida e, como já dito, também mais alegre.

São plantas variadas, de 44 a 127 m, divididas no projeto de Jurado em blocos (algo bem comum em seus projetos) unidos por um corredor de serviço nos fundos do edifício (algo menos comum nos empreendimentos da construtora monções).

Os apartamentos do Planalto foram comercializados em menos de um mês a preço de custo”. (via: Prédios de São Paulo)

O Planalto tornou-se ícone paulistano e cada vez mais chama a atenção da mídia. Seu belo salão já foi cenário para novelas, filmes, inúmeras publicidades, show room da Nike, primeiro dos edifícios escolhidos para o Heineken up on the Roof, dentre outras inúmeras iniciativas.

Cena da novela Amor à Vida, 2013, com os arabescos do prédio.

Artacho Jurado:

João Artacho Jurado (1907 – 1983) foi um empresário paulista, proprietário da Construtora Monções. Responsável pela construção de diversos edifícios residenciais na cidade de São Paulo, principalmente na região de Higienópolis.

Artacho começou a trabalhar na década de 1930 e sua produção se intensificou nas décadas de 40 e 50. Apesar de não ser arquiteto era ele quem idealizava os prédios e pedia para algum engenheiro assinar as plantas. Não frequentou escolas pois seu pai, que era anarquista, recusava-se a deixar seu filho jurar a bandeira, cerimônia obrigatória nas escolas da época.

Sua arquitetura reflete os sonhos hollywoodianos do pós-guerra em uma mistura de estilos e linguagens: o moderno, o nouveau, o déco e o clássico.

Visando a classe média-alta e alta, seus edifícios eram projetados com uma série de serviços e opções de lazer: piscina, terraço com bar na cobertura, onde eram promovidas as festas de inauguração.

Constantemente fiscalizado pelo CREA, nas placas de suas obras seu nome não podia figurar em tamanho maior do que o nome do engenheiro responsável. No entanto, Artacho Jurado dificilmente obedecia à imposição, aumentando a ira de alguns arquitetos, que consideravam ultrajante sua atuação profissional, visto que ele não era arquiteto formado.

O reconhecimento de suas obras foi tardio, uma vez que nunca lhe foi permitido assiná-las.

Programação:

27 e 28/08 -Jornada Do Patrimônio

Nos dias 27 e 28 de agosto, a Secretaria Municipal de Cultura e o Departamento do Patrimônio Histórico farão um convite especial a paulistanos e turistas: conhecer parte seu patrimônio histórico, artístico e cultural, distribuído por diversos pontos da cidade. Nestas datas será realizada a segunda Jornada do Patrimônio paulistana, nos moldes do que já ocorre em diversos países, como as Journées du Patrimoine na França e o Open House em Nova Iorque, Lisboa, Porto e outras cidades.

03/09 – Urban Sketchers

No dia 03 de setembro, último dia da Exposição e aniversário de João Artacho Jurado, os Urban Sketchers irão visitar o Edifício Planalto e retratá-lo em seus desenhos, destacando sua arquitetura.

Compartilhar: