…e passa a procissão! | Museu de Arte Sacra

O Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, dando sequencia às mostras comemorativas do seu Jubileu de Ouro a ser completado em Junho de 2020, exibe “…e passa a procissão”, um conjunto de fotos de seu acervo que constituem uma releitura da mostra “Andores, Opas e Anjos: Passa a Procissão”, de 1985, realizada pelo então diretor Pe. Godinho. Um resgate da história de São Paulo e demonstrações de fé, são exibidos em 34 imagens de diversos fotógrafos.

Os fotógrafos Juca Martins, Miguel Chikaoka, Adenor Godim, Rosa Gauditano, Penna Prearo, Aristides Alves, Eduardo Simões, Claudio Versiani e Ricardo Malta registraram demonstrações de fé, na data, em locais plurais como Juazeiro, Belém, São Luiz do Paraitinga, Itapevi, Cachoeira, Serro, Ouro Preto e Monte Santo, no período entre 1975 e 1984.

De acordo com o curador da primeira exposição, “A primeira referência a procissão no Brasil data do século XVI, numa carta de Pe. Manoel da Nóbrega. Seu objetivo catequético é evidente, já que tais cerimônias procuravam suscitar e afervorar o sentimento religioso do silvícola, recentemente conquistado à fé católica. São Paulo não passava de um pequeno núcleo populacional, em 1585, e o Pe. Fernão cardim nos fala do hábito que se tornará tradição na cultura religiosa brasileira: “…fomos em procissão até a Igreja com uma dança de homens de espadas e outra dos meninos da escola, todos iam dizendo seus ditos às santas relíquias”. Essas tradições lamentavelmente encontram-se em vias de desaparecimento. A sociedade de massas, a tecnologia, o fundo apelo popular aos meios eletrônicos de comunicação e o próprio esvaziamento do sentimento religioso, talvez hoje mais interiorizado, e menos dado a demonstrações públicas, tudo isso constitui ameaça eminente à permanência dessas tradições e de seu sabor provinciano”.

 

Compartilhar: