Darwin Origens & Evolução | Museu do Meio Ambiente

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Em 2019, foram completados 210 anos do nascimento do naturalista inglês Charles Darwin, pai da Teoria da Evolução, e 160 anos da publicação de “A Origem das Espécies”, livro que revolucionou a ciência e marca o início da biologia moderna.

Como parte das comemorações, será lançada a exposição Darwin Origens & Evolução, que passeia pela trajetória da ciência antes, durante e depois das descobertas de um dos mais conhecidos e importantes cientistas da história e apresenta elementos de suas pesquisas e viagens, incluindo sua passagem pelo Brasil. 

Em 1832 o naturalista atracou o navio Beagle no País por cinco meses, com estadas na Bahia e no Rio de Janeiro e seu percurso incluiu o Jardim Botânico, onde está localizado o Museu do Meio Ambiente – local da exposição. 

Com 295 peças – entre obras de artistas contemporâneos, atividades interativas presenciais, coleções botânicas, peças de origem animal como insetos, crânios e fósseis, iconografia histórica, obras raras, gravuras, fotos, textos críticos e reportagens da época – a mostra irá explorar o longo caminho percorrido por Darwin até sua famosa teoria. 

A exposição também vai abordar o desenvolvimento da produção científica no Brasil, incluindo a inauguração de instituições como o Museu Nacional e o Jardim Botânico, além do intercâmbio de informações que cientistas residentes no Brasil mantiveram com Darwin.

A pesquisa para criação da exposição e parte do acervo que será exposto são frutos de parcerias com as principais instituições científicas do Rio de Janeiro e com organismos internacionais – em um esforço conjunto para proporcionar ao público uma experiência única que une arte, ciência, conhecimento e diversão. Esta união é também representativa de uma das principais características do desenvolvimento do pensamento científico: o acúmulo de conhecimento e o intercâmbio de saberes. 

Dividida em quatro partes (“A ciência antes de Darwin”; “Um novo tempo”; “A jornada do Beagle” e “A origem das espécies”), a exposição apresenta diferentes elementos de uma das mais importantes teorias do pensamento moderno e pretende ser uma expedição investigativa que se mistura a uma aula de ciências criativa onde entretenimento, interatividade e descobertas dão o tom da experiência.  

Arte e ciência: uma prosa que dá liga

Além do acervo científico, Darwin Origens & Evolução apresenta seis obras de artistas contemporâneos

em ascensão na cena das artes visuais, em uma inusitada e produtiva conversa entre arte e ciência. 

Ao longo dos ambientes da exposição, em diálogo com os temas propostos,  serão apresentadas obras dos brasileiros Gisela Motta e Leandro Lima (DNA – painel – e Anti horário – videoarte); Thiago Sant’Anna (Refino – videoarte); Paulo Nazareth (Mi imagem de hombre exótico – fotos) e Fernando Lindote (O Guardião fala II – óleo sobre tela) e a dinamarquesa Marika Siedler (Rapas – videoarte). 

Serão apresentados ainda, pela primeira vez no Brasil, reproduções de gravuras e ilustrações do norueguês Peter Brandt, que ilustrava o trabalho de campo do dinamarquês Peter Lund, considerado o pai da Paleontologia no Brasil, além de três dioramas criados especialmente para a exposição pelo artista de teatro Bruno Dante, exibindo parte da história da produção científica no Brasil. 

A exposição trará ainda obras do naturalista e ilustrador João Barbosa Rodrigues, que dirigiu o Jardim Botânico entre 1890 e 1909. Este ano completaram-se 110 anos de sua morte e seu trabalho é reconhecido pela relevância para o conhecimento da diversidade vegetal brasileira.

A exposição Darwin Origens & Evolução tem concepção e curadoria do Estúdio M’Baraká, com a colaboração de Magali Romero Sá, doutora em História da Ciência e vice-diretora de Pesquisa e Divulgação Científica da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz).

A exposição tem patrocínio da Equinor e é realizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, da Secretaria Especial de Cultura do Ministério da Cidadania e Governo Federal.

Compartilhar: