Cadeh Juaçaba | Contemporarte

“Plácido Povo”, de Cadeh Juaçaba. A mostra usa a tecnologia digital num processo quase arqueológico para o resgate de uma Fortaleza escondida, na busca da ressignificação de sua arquitetura originalmente eclética. A mostra é uma parceria das Galerias Contemporarte e Artequattro e segue aberta para visitação até 8 de julho.

O trabalho é resultado de uma vasta pesquisa de Cadeh Juaçaba sobre a relevância sociocultural de obras arquitetônicas no Centro de Fortaleza e as intervenções por elas sofridas. “Fui motivado pela nostalgia da memória que não é minha e busco compreender os contrastes promovidos pelo tempo, os costumes, volumes urbanos e o lugar comum da publicidade”, revela.

Para a exposição, o artista buscou registros fotográficos de importantes construções erguidas entre 1915 e 1940, com o interesse de montar um passeio pelo centro histórico de Fortaleza. Posteriormente, capturou imagens atuais das obras para submeter aos softwares de fotogrametria. O produto final é o confronto desses contrastes visuais, como um convite para reobservar o espaço urbano e a paisagem cultural, o respeito à memória da cidade e suas construções históricas, motivando debates entre todos os setores sobre as condições do patrimônio público e privado.

De acordo com o diretor da Contemporarte, Aldonso Palácio, a exposição traz um olhar subjetivo de Cadeh Juaçaba para uma Fortaleza cheia de contrastes. “A cidade é viva e está em constante de mudança. Cada um tem uma nostalgia particular e também um modo próprio de lidar com as intervenções de cada época. As obras são um excelente convite para essa reflexão”, provoca.

CADEH JUAÇABA

Nascido de duas famílias diretamente ligadas a arte, Cadeh Juaçaba cresceu cercado de pessoas criativas e com suas criações artísticas distintas, de extrema relevância e projeção na cidade de Fortaleza. Por volta dos 9 anos, começou a frequentar o ateliê de sua tia-avó paterna, Heloysa Juaçaba, que o influenciou em suas primeiras experiências com a pintura. No decorrer dos anos, foi experimentando também a arte da escultura em cerâmica e desenvolvendo o desenho.

Após a graduação em Publicidade e Propaganda na Universidade de Fortaleza, atuou no mercado como diretor de arte e ilustração, por quatro anos, até iniciar o curso de pós-graduação em design de produto na Scuola Politécnica de Milão, na Itália. Na volta para Fortaleza, abriu o estúdio de design DEGIZ.

Participa assiduamente de cursos, workshops e seminários nacionais e internacionais na área das artes visuais e design. Recentemente, apresentou trabalho dedicado ao objeto de fé e a história de Padre Cicero, em mostra coletiva realizada em Fortaleza.

Compartilhar: