Bruno Kurru | Alpharrabio

Na nova etapa do Projeto Arte Contemporânea para o Alpharrabio, a artista visual Cristina Suzuki apresenta e faz a curadoria da mostra a _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _, de Bruno Kurru onde pintura, desenhos e plotagem se misturam ao ambiente utilizando as paredes do espaço como páginas ampliadas. O artista rompe com a leitura linear e propõe uma intervenção dos fragmentos de textos em um plano visual e outras relações possíveis no campo da escrita, como linguagem, e do espaço, como página.

Bruno Kurru articula camadas de imagens e escritos como estratégia para a construção de sua poética, mantendo reflexões contínuas sobre a ocupação do espaço, seja ele real ou a superfície de uma pintura. Utilizando edição, corte e enquadramento, sobreposição e montagem, Bruno Kurru se apropria da lógica construtiva dos samplers na música e da montagem no cinema. O título – a _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ – é uma sugestão, um convite a uma construção livre do significado por associação: a palavra como campo de possibilidades, o significante à espera do significado.

“O formato que suas instalações adquirem são traduções visuais de nosso modo atual de comunicação, de como ficam em nossa memória imagens e textos visualizados diariamente. É como se o conteúdo de nosso cérebro fosse materializado numa sala. Os vestígios trabalham como quebra-cabeças que fazem todo sentido, e a partir de nossa disposição em analisá-los, tornam-se claros e compreensíveis”, define a curadora, Cristina Suzuki.

Num primeiro olhar, os trabalhos passam a impressão de improvisos de difícil compreensão, já que são construídos por frestas, fragmentos e reticências visuais. “Ouvi muitas vezes em apresentações teatrais que cinquenta por cento do bom andamento da apresentação foi de reponsabilidade do público. Pois tenho pra mim que essa fruição também deve acontecer ao se percorrer uma mostra de artes visuais; o espectador deve se propor a perceber a obra, procurar detalhes, conjecturar, criticar” especifica Bruno Kurru.

Esta é a proposta explícita de Bruno: fragmentar para expandir as possibilidades de interpretação. Desconectar para perceber. “A intervenção que ele elabora no espaço tem exatamente este procedimento. Bruno vivenciou o local para perceber quais conteúdos se entrelaçam com suas percepções, levou ao pé da letra minha proposta de ocupação e diálogo com o espaço expositivo. O ambiente que abriga cerca de dez mil livros e muitos ecos de conversas entre seus frequentadores, foi expandido e materializado por ele”, completa Cristina Suzuki.

O Projeto Arte Contemporânea para o Alpharrabio foi contemplado pelo Programa de Ação Cultural (ProAc), da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo, que promove a ampliação e a diversificação da produção artística por meio de ICMS e editais. A série contempla três exposições

As informações contidas na agenda são de responsabilidade dos museus e galerias e não representam a opinião da Dasartes.

Rua Eduardo Monteiro 151

Santo André – SP

Compartilhar: