Bet Katona | Galeria Tolouse Arte Contemporânea

© Jaime Acioli

Ao observar tênis jogados nos fios elétricos das ruas por onde passava, Bet Katona teve a ideia de reproduzir a imagem em telas. Desenvolveu uma pesquisa, que surgiu por mera curiosidade. Viajou por diversos países, mas sem necessariamente sair do lugar. ‘Mergulhou’ na internet. Foi à Holanda (Amsterdã), Inglaterra (Londres), Estados Unidos (Nova Iorque), entre outros locais que exibiam pares de tênis em fios de postes, inclusive o Brasil, claro. E pintou todos.

Cada detalhe daquele fragmento, dos postes. Às vezes vários pares amarrados e arremessados. E ficou imaginando… Imaginou o motivo. O primeiro que veio à cabeça foi o desapego. O segundo foi a zombaria. Uma pessoa querendo fazer uma gozação com alguém. Mas o fato é que os objetos estavam lá e de lá foram para as telas da exposição “Shoefiti”, acompanhados de planos de cores e elementos da paisagem urbana.

A pintura sempre encantou Bet Katona, que iniciou seus estudos na década de 90, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, e ingressou profissionalmente nas artes a partir de 2006. No ano de 2009 passou a ser representada pela extinta Galeria Anna Maria Niemeyer. Nesta exposição, o visitante vai conseguir perceber a essência da imagem por simplificação e geometrização da forma.
Os lugares que pinta instiga a memória do observador. Neste momento começa um diálogo silencioso do olho, da imagem e da memória. Vai ser assim com a mostra apresentada na Galeria Tolouse, por Bet Katona.

As informações contidas na agenda são de responsabilidade dos museus e galerias e não representam a opinião da Dasartes.

Compartilhar: