Beatriz Lecuona e Óscar Hernández | Adelina Galeria

Inaugurada em abril, a Adelina Galeria renova suas exposições nesse mês de junho e recebe a dupla Lecuona y Hernández traz peças criadas no ateliê da Adelina especialmente para a exposição, com a curadoria de Raphael Fonseca.

Os artistas das Ilhas Canárias Beatriz Lecuona e Óscar Hernández estão no País desde março em busca de uma relação com a cidade de São Paulo para a criação das obras da individual Falso Histórico. A exposição dá continuidade ao processo de investigação da dupla a respeito da relação entre imagem, tridimensionalidade, espaço e cultura. Durante o período de um pouco mais de um mês, alguns dos elementos que mais chamaram a sua atenção foram os limites físicos e simbólicos entre o espaço público e o privado. Dialogando com essa questão, os artistas refletem sobre algo que aparece em alguns de seus trabalhos anteriores: o higienismo e sua relação com o desaparecimento e a morte.

“São Paulo, assim como qualquer grande cidade latino-americana, passou por um voraz processo modernizador que foi capaz de conjugar os traumas advindos do fim da escravidão africana no Brasil e o desejo de ter uma experiência urbanística eficiente e moderna segundo padrões europeus. Não é à toa que a cidade possui, assim como outras capitais do Brasil, um bairro chamado Higienópolis – era preciso almejar a assepsia para se fazer a manutenção dos diferentes estratos sociais pós-abolição da escravidão. Esse desejo de limpeza observado em diversos momentos de sua experiência pública na cidade também pode ser refletido no espaço privado, por exemplo, através do uso de tapetes e outros acessórios domésticos que são usados para limpeza do corpo e para esconder elementos indesejados da privacidade”, contextualiza Raphael Fonseca.

 

Compartilhar: