Antonio Manuel | Cassia Bomeny Galeria

Antonio Manuel inaugura uma exposição individual na Cassia Bomeny Galeria, em Ipanema, com cerca de 15 pinturas inéditas, produzidas em 2016 e 2017. A curadoria é de Franz Manata. O artista, que foi o representante do Brasil na Bienal de Veneza de 2015 e cujas obras integram o acervo de importantes coleções, como MoMA, em Nova York, e Tate Modern, em Londres, não expõe há 13 anos em uma galeria de arte.

Antonio Manuel completa este ano 70 anos de idade e 50 de trajetória e continua ativo, se desfiando. As novas pinturas seguem os traços geométricos, que vem trabalhando há alguns anos, mas há a introdução de texturas em algumas obras, como papel corrugado e tecido, além de recortes em algumas telas, transformando a parede em mais um elemento da pintura. Em algumas obras, ele utiliza também, pela primeira vez, tinta esmalte junto com a tinta acrílica – que sempre usou em suas pinturas –, com a intenção de mesclar o fosco com o brilho.

Conhecido por suas performances inovadoras e instalações interativas, Antonio Manuel sempre teve a pintura presente em sua trajetória. “A pintura surge logo no inicio, na década de 1960, com os guaches sobre papel. Isso foi um passo para a realização de pequenos panos e linhos, onde eu fazia pequenas pinturas. A pintura sobre tela vem mais na década de 1980, com o nascimento dos meus filhos, o que me fez ficar mais em casa e mudar a escala das obras”, conta. Para o artista, não há diferença entre a realização de uma pintura e de uma instalação. “O trabalho intelectual é o mesmo, a essência é a mesma, o que muda é apenas o suporte”, diz.

Antonio Manuel conta que não faz um projeto prévio para as pinturas. “Pinto diretamente na tela, sem uma ideia anterior, pois gosto e acho importante o desafio do dia-a-dia. Se eu fizesse um projeto, a pintura viraria uma mera execução do projeto”, afirma.

O artista sempre dá título aos trabalhos e os nomes surgem ao mesmo tempo em que a obra está sendo criada. “O título vem junto, ele ajuda na realização e no desenvolvimento do trabalho. Ele traz uma mensagem, uma narrativa”, diz.

Compartilhar: