A Matéria da Memória | SOMA Galeria

Nascidas pouco antes do início da Segunda Guerra Mundial, as artistas Guita Soifer e Inna Cymlich são originárias de países diferentes (Brasil e Rússia, respectivamente), mas têm em comum a origem judaica. Suas obras compõem a exposição “A Matéria da Memória”, aberta ao público na SOMA Galeria, como parte da programação SABRA – Festival de Arte Brasil-Israel.

A vivência pessoal das artistas é uma característica que caminha com suas obras. “Guita Soifer e Inna Cymlich tiveram que lidar desde cedo com o exílio, a ausência e a falta sentida pelos desaparecidos”, explica a curadora Julie Dumont. “Embora tenham vivido de forma direta ou indireta o trauma do conflito e das suas consequências, as artistas, ambas autodidatas, compartilham a urgência de marcar o pulso da vida, de encher o vazio, de desejos e resiliência”, comenta.

“A Matéria da Memória” propicia ao público uma experiência visceral da história individual e coletiva das artistas, tanto dos tempos sombrios, quanto dos momentos alegres que elas atravessaram e continuam atravessando, produzindo sempre e avidamente, materializando no suas lembranças e sensações que as palavras não poderiam descrever.

Nas pinturas, gravuras e esculturas de A Matéria da Memória, a narrativa está sugerida através de volumes e espaços ora cheios, ora livres de rastros, de densidades e nuances de luzes e sombras que remetem a momentos de vida, lugares familiares ou distantes e emoções, anulando assim a passagem do tempo.

Dialogando com o aniversário dos 70 anos da criação Estado do Israel, “A Matéria da Memória” é realizada em um momento de crises na cena mundial, segundo a curadora. “Esta exposição nos lembra que a vida é espiral, em movimento perpétuo, assim como o nosso DNA, a forma das conchas, o movimento do mar e dos astros celestes, como a arte que sintetiza e transforma referências. Voltamos ciclicamente a lugares similares, embora diferentes”.

Compartilhar: