“Memorabilia – Amador Perez – 40 Anos”

A exposição “Memorabilia – Amador Perez – 40 Anos”, no Centro Cultural Correios/Rio de Janeiro, comemora a significativa trajetória de 40 anos do artista carioca Amador Perez na arte contemporânea brasileira.

Apresentando mais de 100 obras realizadas entre 1976 e 2014, organizadas em três núcleos, Amador Perez propõe uma reflexão sobre a materialidade e singularidade da obra de arte e sua reprodução, e a imaterialidade e multiplicidade da imagem. O artista utiliza técnicas manuais e digitais em uma fusão de linguagens, criando um jogo interativo entre a sua memória das obras originais e a fantasia do espectador.

– O primeiro núcleo exibe 20 obras recentes e inéditas, uma seleção de 20 imagens de desenhos a grafite de Amador Perez da década de 1980, redimensionadas através de impressões sobre telas que, conjugadas a objetos projetados pelo autor representativos de sua memória afetiva, constituem uma ‘memorabilia’ do artista.

– O segundo núcleo mostra dois ‘livros de artista’, atuais e inéditos, sobre Nijinski, o mítico e revolucionário dançarino e coreógrafo dos “Balés Russos de Diaguilev”, a partir de séries de colagens e desenhos elaborados por Perez nas décadas de 1970 e 1980, apresentados em uma espécie de ‘gabinete de curiosidades’ onde destaca-se uma carta dirigida a Amador Perez por Tamara Nijinski, segunda filha do bailarino.

– O terceiro núcleo reapresenta a série “Gioventù”, elaborada a partir da obra homônima de Eliseu Visconti, composta por 63 desenhos a grafite e lápis de cor, realizada na década de 1990 e apresentada pela primeira vez em 1998, no Museu Nacional de Belas Artes. Integra-se à mostra, uma gravura que reproduz as dimensões originais da tela de Visconti, apresentada por Amador Perez em 2002, quando participou do projeto “Os Amigos da Gravura” no Museu Chácara do Céu. Ao escolher “Gioventù”, pintura icônica de Visconti, Perez reafirma a atualidade da obra de um dos artistas que anteciparam a modernidade na arte brasileira, pioneiro também do nosso design. Amador identifica-se com a visão futurista de Eliseu, remetendo a sua criação à contemporaneidade.

O artista realizará visitas guiadas e oficinas temáticas relacionadas às suas proposições apresentadas nos três núcleos, e as reflexões do público participante, expressas através dos resultados das oficinas, formarão progressivamente um novo núcleo da exposição.

Compartilhar: