DASARTES 82
março 2019

BALTHUS
DJANIRA
ERIKA VERZUTTI
THEASTER GATES
LEONILSON
FERNAND LÉGER

CAPA – Considerado um dos grandes mestres da arte do século 20, BALTHUS é, sem dúvida, também um dos pintores mais singulares do seu tempo. Seu trabalho, diverso e ambíguo e tão admirado quanto rejeitado, seguiu um caminho virtualmente contrário ao desenvolvimento da vanguarda.

DESTAQUE – Exposição monográfica que o Centre Pompidou dedica à artista brasileira ERIKA VERZUTTI, a primeira em grande escala na Europa, revela uma obra sensual, repleta de evocações de animais e vegetais. Veja texto da curadora da mostra.

ALTO RELEVO – Embora tenha trilhado sólida carreira em vida, nas últimas décadas a artista DJANIRA foi colocada de lado nas narrativas oficiais da história da arte brasileira. Primeira grande exposição monográfica no MASP busca, portanto, reposicioná-la na história da arte do país.

REFLEXO – Abrangendo escultura, pintura, cerâmica, vídeo, performance e música, a prática de THEASTER GATES deriva e sustenta ambiciosos projetos de renovação urbana, criando polos e arquivos para a cultura negra. Conheça sua nova mostra para o Palais de Tokyo pelas palavras do próprio artista.

PANORAMA – Dasartes relembra a crítica de Guilherme Bueno, publicada por ocasião da última retrospectiva de LEONILSON, em São Paulo, e complementa-a com resenha de Rodrigo Qohen para nova mostra no Centrol Cultural FIESP.

FLASHBACK – FERNAND LÉGER ficou fascinado com a vibração da vida moderna. Suas pinturas, murais, filmes e tecidos foram infundidos com a agitação e o ritmo da metrópole. Sua primeira grande exposição no Reino Unido celebra o desejo do artista de fazer da arte parte da vida cotidiana.

RESENHA – Veja resenha conjunta das exposições Eu me levanto de Regina Parra e Ainda assim me levanto de Sônia Gomes por Ulisses Castro.

AGENDA, COLUNA DO MEIO e DE ARTE A Z completam esta edição nº 82 da Dasartes | Ano 10 | Março 2019.

Compartilhar:

DASARTES 10 anos